segunda-feira, 30 de agosto de 2010

DataAz confirma liderança de Wilson Martins para o governo


Depois do Ibope e do DataCerto, agora é o instituto DataAZ que confirma a liderança de Wilson Martins (PSB) na disputa pelo Governo do Estado.

Segundo a pesquisa, publicada pelo Portal AZ e pelo jornal O Dia, Wilson tem 31,5% das intenções de voto estimuladas, contra 29,6% do tucano Sílvio Mendes e de 20,8% de João Vicente Claudino (PTB).

É a terceira pesquisa que coloca Wilson com índice de intenção de voto acima dos 30% – antes, foram os institutos Amostragem e DataCerto. Por outro lado, é a segunda que traz Sílvio Mendes abaixo dos 30 pontos – a outra foi a sondagem do Ibope.

Teresa Brito, do PV, somou 2,13% das intenções de voto, enquanto os eleitores indecisos somaram 14,82%. Nenhum dos outros candidatos somou mais que 1%.

Entre a primeira pesquisa realizada após as convenções partidárias pelo Instituto DataAZ e a amostragem atual, quem mais caiu foi Sílvio Mendes. Em julho, o tucano somava 38,18%. Perdeu 8,58% das intenções de voto. João Vicente recuou 2,4%. Já Wilson Martins foi quem mais cresceu. Em julho, tinha 25,68%. Somou 5,87% e já passa de 31 pontos percentuais.

A pesquisa do DataAZ foi realizada entre os dias 21 e 25 de agosto, com 1.306 entrevistas a pessoas maiores de 16 anos, em 62 municípios. A margem de erro é de 2,29%. A pesquisa foi registrada no TRE, Protocolo Nº 23.154/2010.


Fonte: Ascom
30 de Agosto de 2010 - 14h10

Wilson Martins: "Farei um governo de parcerias"

Ascom/Wilson Martins
Wilson Martins no bairro Renascença 

Durante a marcha no Renascença II, zona Sudeste de Teresina, onde realizou caminhada na manhã deste domingo (29), o governador Wilson Martins viu de perto a realidade de seus eleitores e assegurou melhorias estruturais para o local, como a reforma e ampliação do mercado que serve o bairro. 

A intenção é garantir mais conforto para os que ali trabalham e também para os consumidores. “Farei um governo de parceria com a população e também com os gestores municipais, como o prefeito de Teresina”, salientou, em conversas com os moradores.
 
Wilson contou que teve origem humilde e que lutou muito para vencer na vida, por isso conhece de perto a dificuldade de muitos que trabalham ali. “Nasci no sertão, sou filho de agricultor e tenho um passado de luta. Quero dar continuidade ao projeto de Wellington e me sinto confiante pelo aceno, pelo aperto de mão, pela garra e pelo carinho recebido pelo Piauí”, enfatizou.
 
O governador também garantiu que em seu governo a ação do Ronda Cidadão vai continuar assegurando a tranquilidade dos moradores daquela região. “Já sabemos que os índices de assaltos e violência reduziram em torno de 70%. Vamos trabalhar para que essa seja uma nova realidade em toda a Teresina e no Piauí. O programa já está aprovado pela população e mostra que estamos no caminho certo”, explicou.
 
A dona de casa, Diomar de Sousa, ficou feliz ao encontrar o candidato caminhando pelo bairro. Ela disse que a vida na região está mais tranquila, depois do Ronda Cidadão. “Sabemos que tem condição de melhorar ainda mais com a reeleição do governador Wilson Martins. Acreditamos na capacidade dele, porque é um homem trabalhador e tem apoio da próxima presidente do Brasil, Dilma Rousseff”, ressaltou.
 
Pesquisa – O governador também comentou a nova pesquisa Amostragem, encomendada pela coligação liderada pelo candidato Sílvio Mendes. Os números mostram que Wilson é o único que cresce na preferência popular. Na sondagem dos tucanos, Wilson aparece em segundo, com 30,08% das intenções de voto, e o candidato de Serra no Piauí tem 34,48%.  “O ponto positivo dessa nova pesquisa é a confirmação de que só um candidato cresce na preferência popular”, acrescenta Wilson, em meio à militância no Bairro Renascença II, zona Sudeste de Teresina, onde realizou caminhada na manhã deste domingo.
 
O socialista está tranquilo e confiante porque todas as pesquisas divulgadas confirmam sua ascensão. “A linha de crescimento é que vale no resultado final. Estamos há 35 dias da eleição e a meta é vencer logo no primeiro turno”, reforça. Ele disse que o mais importante é sentir o carinho da população em todo o Estado e saber que o povo está confiando a ele a missão de dar continuidade ao trabalho de Wellington Dias. “Ao lado de Dilma, vamos trabalhar ainda mais pelo desenvolvimento de nossa terra. Este é o nosso compromisso”.


Fonte: Ascom
http://www.vermelho.org.br/pi/noticia.php?id_noticia=135949&id_secao=95
29 de Agosto de 2010 - 13h37

Serra abraça discurso da ditadura em encontro com militares

O tucano acusou o PT de formar uma "república sindicalista", colocou-se contra a punição de crimes da ditadura e afirmou que o Brasil ajudou "ditador do Irã". Parece ter esquecido que era presidente da União Nacional de Estudantes (UNE) em 1964 e discursou no comício da Central do Brasil em defesa daquela que os golpistas de então classificavam de “república sindicalista”.

Protagonista do primeiro encontro de um candidato a presidente com oficiais das Forças Armadas nesta campanha, José Serra (PSDB) foi recebido sem muito entusiasmo pelos militares que compareceram ao Clube da Aeronáutica na tarde de sexta-feira (27).

A palestra, a primeira de uma série que terá também as candidatas Marina Silva (PV) e Dilma Rousseff (PT), foi assistida por cerca de 200 pessoas, plateia que sequer conseguiu encher a sala reservada ao evento, e foi fechada à imprensa a pedido do candidato. Além de pouco público, também chamou a atenção na palestra a presença de muitos oficiais da reserva, alguns com clara posição antipetista, e a ausência dos atuais comandantes das três forças.

Descontraído, o ex-governador jogou para a plateia quando lembrou os temores militares frente ao governo de João Goulart e acusou o PT de ter formado "uma república de sindicalistas". O tucano também manifestou posição contrária ao Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH) e ao que qualificou como "tentativa de controle da imprensa" por parte do governo petista. Serra também criticou a política externa brasileira e citou a "quebra do sigilo fiscal de pessoas próximas na Receita Federal".

"O PNDH cria uma espécie de tribunal que iria permanentemente julgar a imprensa, para efeito desse controle. Há, além do mais, por parte do governo, uma ofensiva econômica em relação à imprensa"

Serra, que no passado foi perseguido político e exilado pela ditadura militar, não hesitou em condenar aqueles que pregam punição para os crimes de tortura cometido pelos militares: "Reabrir a questão da anistia para mim é um equívoco porque a anistia valeu pra todos e ao meu ver não é algo que deveria ser reaberto. Uma coisa é ter conhecimento do que aconteceu, etc. Outra é a reabertura dos processos que, aliás, pegaria gente dos dois lados. Permanentemente se procura reabrir essa questão, inclusive em nível ministerial, no atual governo", disse.

O poder do atual governo, segundo o candidato do PSDB, se dá "através da internet e da máquina sindical". Nesse momento, Serra chegou a citar o golpe militar que derrubou o presidente João Goulart em 1964: "Em 64, uma grande motivação para a derrubada do Jango era a idéia da república sindicalista. Quem estava por dentro sabia que isso não tinha a menor possibilidade de acontecer. Mas, eles [do PT] fizeram agora a verdadeira república sindicalista. Mas, não é pra fazer socialismo, estatismo, nada disso. É para curtir, e é uma máquina poderosa, que conta com internet, etc".

A política de direitos humanos do governo Lula foi o principal alvo do tucano, que chegou a afirmar que o PNDH "criminaliza quem não defende o aborto", para em seguida acrescentar: "Nesse mesmo programa de direitos humanos, passa-se por cima da ordem jurídica do país, por exemplo, no caso das invasões. O PNDH prevê que as invasões não poderão ser enfrentadas mediante ordem judicial e cria uma instância intermediária, um fórum para decidir se tal invasão é correta, etc. Isso viola o direito de propriedade".

Serra voltou a criticar o "conferencismo" do atual governo e a se queixar da "pressão" sobre a mídia: "Outro aspecto é o controle da imprensa, que se dá através de congressos e de conferências, mas, na prática, prevê o controle e o monitoramento da imprensa. Inclusive na área propriamente de direitos humanos, direitos civis, etc, o PNDH cria uma espécie de tribunal que iria permanentemente julgar a imprensa, para efeito desse controle. Há, além do mais, por parte do governo uma ofensiva econômica em relação à imprensa", disse.

"São mais um 'saludo a la bandera' em relação ao qual nós não temos interesse nenhum. Para não falar, como no caso da Bolívia, de uma espécie de cumplicidade com um governo que é cúmplice do contrabando de drogas para o Brasil".

Vizinhos "incômodos"

O tucano também aproveitou um velho ícone do imaginário militar de direita para criticar a política externa do governo Lula ao apontar que o Brasil reconheceu, "de maneira injustificada", a China como economia de mercado.

"A implicação prática disso é que nós não podemos adotar medidas de defesa comercial com a rapidez que seria possível caso não tivéssemos feito esse reconhecimento a troco de nada. Em matéria externa, nós não tivemos agressividade econômica, mas tivemos, sim, atividade política equivocada, dando trela para ditadores da pior espécie, como o ditador do Irã, inclusive armando uma encrenca diplomática para o Brasil inteiramente desnecessária".

A relação com os vizinhos latino-americanos também foi atacada por Serra: "Relações boas com Venezuela, Equador, Bolívia, etc, tudo bem. Com Cuba, também. Eu sou partidário que os Estados Unidos levantem o cerco econômico a Cuba. Isso, aliás, ajudaria o processo cubano a caminhar para a democracia. Mas o fato é que são parcerias e coalizões antinorteamericanas que, na verdade, são mais um 'saludo a la bandera' em relação ao qual nós não temos interesse nenhum. Para não falar, como no caso da Bolívia, de uma espécie de cumplicidade com um governo que é cúmplice do contrabando de drogas para o Brasil".

Além de reiterar a insinuação de cumplicidade do governo brasileiro com o narcotráfico, Serra voltou a insinuar que o PT faz corpo-mole em relação às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc): "Eu li a declaração do comandante do Exército na Amazônia dizendo que tropas da Farc entraram no Brasil, por questões logísticas deles e também para o narcotráfico. Nossas fronteiras não estão sendo guardadas como deveriam ser", disse.

Os vizinhos mais pobres foram alvo de outras queixas do tucano, que lembrou que uma cidade fronteiriça boliviana, à época em que era ministro da Saúde, tinha 75% das pessoas com dengue. Serra também citou o pré-sal: "A fronteira marítima merece atenção especial por causa das riquezas do subsolo referentes ao petróleo. Nós temos que ocupar nossas fronteiras. A tecnologia é muito importante e envolve as três armas. Quero criar uma guarda nacional especifica para trabalho de fronteira, não conflitante com o trabalho das Forças Armadas, e para florestas e meio ambiente", prometeu.

Passado de Dilma

Parte da plateia da palestra de José Serra no Clube da Aeronáutica não escondeu o seu antipetismo. Uma questão elaborada pelos coronéis Ozires Labatu e Ernani Almeida indagou ao tucano: "Por quê os condutores de sua campanha se eximem de abrir a biografia da senhora Dilma e de expor as verdadeiras intenções do PT?".

Serra respondeu que "essa questão biográfica é uma questão mais complicada" e saiu pela tangente: "Eu não acho que deva ser a campanha quem discute o passado, a vida de cada um. O que mais me incomoda na biografia da Dilma é atribuírem a ela coisas que ela não fez. Isso me aflige mais do que a questão do passado político. Conheço gente que fez a luta armada - não conheci muitos, foram alguns - e que hoje estão com uma posição política correta e trabalhando direito", disse.

Em outra questão, o tenente-brigadeiro Carlos Almeida Batista repreendeu Serra por "cometer os mesmos erros de Geraldo Alckmin na campanha passada". O militar disse que Serra não explora "conquistas tucanas como o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal e as privatizações bem-sucedidas" e indagou: "Por quê o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não engaja em sua campanha como faz o Lula com a Dilma?".

Em sua resposta, Serra disse que as conquistas citadas pelo tenente-brigadeiro são "temas que não emocionam a população" e que "a internet é usada para a propagação da mentira". Sobre FHC, o tucano foi evasivo: "Quanto à participação do Fernando Henrique, ele tem plena liberdade para isso. Mas eles quiseram transformar a eleição na comparação entre dois governos e eleição não é isso. A meu ver, levar para esse tipo de comparação não é bom".

 
Fonte: Rede Brasil Atual
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=135947&id_secao=1
29 de Agosto de 2010 - 18h00

domingo, 29 de agosto de 2010

Carreata e feijoada movimentam apoiadores de Osmar Júnior

Jarbas Santana
Robert Rios, Osmar Júnior e Wellington Dias: Para o Piauí seguir mudando


O último sábado foi de festa e mobilização na campanha do candidato à reeleição pelo PCdoB-PI

Não é novidade que nem aos fins de semana a campanha dos candidatos à reeleição pelo PCdoB-PI para. Todos os dias são marcados por atividades intensas que não deixam de ser prazerosas. No último sábado (28), por exemplo, Osmar Júnior reuniu amigos, familiares, lideranças e apoiadores na sua Feijoada da Adesão.


Antes do evento realizado no clube da Adufpi, dezenas de veículos participaram da carreata do candidato que seguiu pela Avenida Maranhão, com concentração em frente ao Centro Administrativo, até a avenida principal do bairro Sacy. Acompanhado dos também candidatos Robert Rios (PCdoB-PI para a Assembleia Legislativa) e Wellington Dias (PT para o Senado e ex-governador do Piauí), Osmar recebeu o carinho dos teresinenses por onde passou.

Depois de distribuir acenos e simpatia, foi o momento do candidato confraternizar com os participantes da feijoada. Diversos segmentos marcaram presença, com destaque para a militância do Partido e a juventude socialista.



O candidato ao governo pela coligação "Para o Piauí seguir mudando" Wilson Martins fez questão de participar do evento, dando, mais uma vez, mostra de seu apoio à candidatura de Osmar Júnior, que, juntamente como Robert Rios, pretende continuar trabalhando por um Estado melhor e cada vez mais distante das marcas negativas.




Da redação local
29 de Agosto de 2010 - 10h15

DCE-Ufpi consegue reintegração de 2 mil alunos jubilados

O Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal impetrou Mandado de Segurança Coletivo contra o ato do Reitor Luís Júnior (Edital nº 60 de 16/07/10) que cancelava a matrícula dos alunos com três reprovações na mesma disciplina.

No despacho assinado pelo Juiz Federal Nazareno César Moreira Reis, o mesmo determina "que o reitor da UFPI, suspenda os efeitos do Edital nº 60 de 16 de julho de 2010, reabrindo prazo para matrícula dos jubilados".

No processo que beneficia cerca de 2.000 (dois mil) estudantes o despacho assinado pelo Juiz na última quinta-feira (26) coloca ainda "que a miríade de circunstâncias concretas da vida de cada estudante precisa ser preponderada concretamente pela UFPI, se houver defesa em prazo hábil, tanto mais porque existem muitos alunos que enfrentam dificuldade para compatibilizar os horários dos blocos de disciplinas com a sua vida laboral, muitas vezes de sua condição econômica desfavorável".

O assessor jurídico do DCE/UFPI, Enzo Samuel, orienta aos estudantes que tão logo a UFPI seja notificada da decisão judicial procurem efetivar suas matrículas, principalmente naquelas disciplinas que foram objetos do cancelamento de matrícula, evitando assim problemas posteriores.

A Diretoria do DCE/UFPI lamenta que o Reitor Luís Júnior tome sempre posturas autoritárias prejudicando os estudantes que não tiveram a ampla defesa garantida na constituição. A postura do Reitor não nos surpreende mais, pois a exemplo do processo de reforma do Estatuto da UFPI, que foi decido apenas dentro dos gabinetes da administração superior, sem a participação da comunidade universitária.

Mesmo já tendo transcorrido um mês de aulas o DCE/UFPI tudo fará para que os alunos não sejam prejudicados e que sejam imediatamente matriculados para não perderem o período em curso.

 
http://www.vermelho.org.br/pi/noticia.php?id_noticia=135917&id_secao=95
28 de Agosto de 2010 - 10h07

Dilma abre 24 pontos de vantagem sobre Serra, diz Ibope

Após dez dias de exposição dos candidatos à Presidência no horário eleitoral, a candidata Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, abriu 24 pontos de vantagem sobre o tucano José Serra. Se a eleição fosse hoje, ela venceria no primeiro turno, com 59% dos votos válidos.

Segundo pesquisa Ibope/O Estado de S. Paulo/TV Globo, Dilma chegou a 51% das intenções de voto, um crescimento de oito pontos porcentuais em relação ao levantamento anterior do mesmo instituto, feito às vésperas do início da propaganda eleitoral. Desde então, Serra passou de 32% para 27%. Marina Silva, do PV, oscilou de 8% para 7%. Somados, os adversários da petista têm 35 pontos, 16 a menos do que ela.

Dilma ultrapassou Serra em São Paulo (42% a 35%) e tem o dobro de votos do adversário (51% a 25%) em Minas Gerais – respectivamente primeiro e segundo maiores colégios eleitorais do país. No Rio de Janeiro, terceiro estado com a maior concentração de eleitores, a candidata do PT abriu nada menos do que 41 pontos de vantagem em relação ao tucano (57% a 16%).

Na divisão do eleitorado por regiões, Dilma registra a liderança mais folgada no Nordeste, onde tem mais que o triplo de votos do rival (66% a 20%%). No Sudeste, ela vence por 44% a 30%, e no Norte/Centro-Oeste, por 56% a 24%.

A Região Sul é a única em que há empate técnico: Dilma tem 40% e Serra, 35%. A margem de erro específica para a amostra de eleitores dessa região chega a cinco pontos porcentuais. Mas também entre os sulistas se verifica a tendência de crescimento da petista: ela subiu cinco pontos porcentuais na região, e o tucano caiu nove.


Ricos e pobres

A segmentação do eleitorado por renda mostra que a candidata do PT tem melhor desempenho entre os mais pobres. Dos que têm renda familiar de até um salário mínimo, 58% manifestam a intenção de votar nela, e 22% em Serra. Na faixa de renda logo acima – de um a dois salários mínimos –, o placar é de 53% a 26%. Há um empate entre a petista (39%) e o tucano (38%) no eleitorado com renda superior a cinco salários.

Também há empate técnico entre ambos no segmento da população que cursou o ensino superior. Nas demais faixas de escolaridade, Dilma vence com 25 a 28 pontos de vantagem. A taxa de rejeição à candidata petista oscilou dois pontos para baixo, mas se mantém praticamente a mesma desde junho, próxima dos 17%. No caso do candidato tucano, 27% afirmam que não votariam nele em nenhuma hipótese.

O desempenho de Dilma já se equipara à de Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de 2006. Na época, no primeiro turno, o então candidato petista teve 59% dos votos válidos como teto nas pesquisas. Agora, a disparada de Dilma disseminou a expectativa de que ela vença a eleição. Para dois terços da população, a ex-ministra tomará posse em janeiro como sucessora do atual presidente. Apenas 19% dos eleitores acham que Serra será o vitorioso.


Mulheres

Com boa parte de sua propaganda direcionada à conquista do eleitorado feminino – dando destaque à possibilidade de uma mulher assumir pela primeira vez a Presidência –, Dilma cresceu mais entre as mulheres (nove pontos) que entre os homens (cinco pontos). Na simulação de segundo turno, a vantagem de Dilma entre as mulheres é agora praticamente a mesma que entre os homens, um fato inédito na campanha. O próprio Lula sempre teve mais votos entre os homens.

A pesquisa mostra que 57% dos eleitores já assistiram a pelo menos um programa do horário eleitoral. Segundo o Ibope, 50% dos brasileiros preferem votar em um candidato apoiado pelo presidente, e 9% tendem a optar por um representante da oposição. Do total do eleitorado, 88% sabem que Dilma é a candidata de Lula. O governo do presidente é considerado ótimo ou bom por 78% dos brasileiros. Outros 4% consideram a gestão Lula ruim ou péssima.


Da Redação, com informações do O Estado de S.Paulo
28 de Agosto de 2010 - 9h57

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Feijoada da Adesão reuniá apoiadores de Osmar Júnior


Jarbas Santana

Osmar quer reunir mais apoiadores em evento

Evento acontece no próximo sábado (28) após carreata na avenida Maranhão.



Feliz. Assim se auto-define o deputado Osmar Júnior com as manifestações de apoio que têm recebido durante a sua campanha para reeleição.  Amigos e eleitores não se furtam de participar dos eventos organizados para e pelo candidato. No próximo sábado, um grande número deles certamente estará na Feijoada da Adesão.

O evento, preparado por apoiadores de Osmar, acontecerá na sede da Adufpi, ao lado do campus da Universidade Federal do Piauí. O deputado espera concentrar grandes lideranças, militantes e novos apoiadores durante a confraternização.

A Feijoada será um momento de descontração e debate após a carreata com a presença e do também candidato à reeleição Robert Rios. A concentração acontecerá na avenida Maranhão nas proximidades do Centro Administrativo.

Da redação local
http://www.vermelho.org.br/pi/noticia.php?id_noticia=135725&id_secao=95
25 de Agosto de 2010 - 17h45

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Pesquisa mostra Wilson Martins na liderança mais uma vez


Candidato da coligação "Para o Piauí seguir mudando" aparece com 33% das intenções de voto.


Uma nova pesquisa de opinião, divulgada pelo portal Acesse Piauí (www.acessepiaui.com.br), mostra o governador Wilson Martins (PSB) na liderança da disputa pelo Palácio de Karnak. Segundo pesquisa do Instituto DataCerto, Wilson tem 33% das intenções de votos estimuladas.

O tucano Sílvio Mendes vem em segundo, com 31%. O petebista João Vicente Claudino é o terceiro, com 22%. Esta é a segunda pesquisa que mostra a liderança de Wilson. O governador também é primeiro na pesquisa do Ibope divulgada pela Rede Globo/TV Clube.

Esta é a primeira que traz Wilson Martins com mais de 30 pontos de intenção de voto. A pesquisa DataCerto reafirma as sondagens dos demais institutos, que apontam uma sequencia de crescimento de Wilson e de oscilação negativa dos demais candidatos.


24 de Agosto de 2010 - 11h21

Nova pesquisa mostra Dilma com 18 pontos de vantagem sobre Serra

Pesquisa CNT/Sensus divulgada na manhã desta terça-feira (24) mostra a presidenciável Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, à frente das intenções de voto, com 46 %. Seu principal oponente, o candidato demo-tucano, José Serra, despencou para 28,1%.

Em terceiro lugar, está a senadora Marina Silva (PV) com 8,1%. Votos em branco, nulos e indecisos somam 16,8 %. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Na última pesquisa, a ex-ministra da Casa Civil do governo Lula liderava com 41,6%. Já Serra aparecia com 31,6%, enquanto Marina registrava 8,5%. Votos em branco, nulo e indecisos representavam 14,3%.

A pesquisa fez também uma simulação de segundo turno. Nela, Dilma aparece com 52,9%, contra 34 % do ex-governador de São Paulo. Dentro desse cenário, brancos, nulos e indecisos chegam a 13,2 %.

Na pesquisa espontânea — a que os nomes de candidatos não são indicados aos entrevistados —, Dilma aparece com 37,2 % das intenções de votos, contra 21,2 % de Serra e 6% de Marina Silva. Brancos, nulos e indecisos representam 30,6%.

Para a 103ª Pesquisa CNT/Sensus, foram entrevistadas 2 mil pessoas, em 136 municípios de 24 estados, entre os dias 20 e 22 de agosto de 2010. A pesquisa foi registrada no TSE com o número 24903/2010.


Da Redação, com agências
24 de Agosto de 2010 - 11h00

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Lula: adversário que usa minha imagem quer enganar a sociedade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta segunda-feira (23) o uso de sua imagem pela campanha do tucano José Serra à Presidência, o que classificou de “enganação”. Na última quinta-feira (19), o presidenciável do PSDB usou imagens em que aparece ao lado de Lula durante seu programa eleitoral na TV, o que motivou uma representação do PT na Justiça contra o candidato.


Charge de Ique para o JB Online


"Todo mundo sabe que eu tenho lado, que eu tenho uma candidata, que eu tenho um partido, e todo mundo sabe quem eu quero que seja eleita presidente. É sempre muito ruim pessoas que, em momento de eleição, achem que seja possível enganar a sociedade com imagens de pessoas que você tem participação política contrária".

Apesar da crítica, Lula afirmou que o uso de sua imagem por adversários faz "parte do processo político brasileiro". O presidente disse ainda que não entrará na Justiça para impedir que adversários utilizem sua imagem. "Não vou entrar na Justiça. Quem tem que fazer isso é o partido".

"Acho que, antes de ser candidato e antes de ser presidente, a gente tem relações políticas. Então, a pessoa pode até não falar bem, mas não há por que falar mal.[...] [Quando acabar a eleição] A gente vai se encontrar pelas esquinas de São Paulo e vai conversar como gente civilizada".

Lula também comemorou o crescimento de sua candidata à sucessão presidencial. Dilma Rousseff lidera as últimas pesquisas de intenção de voto, mas o presidente evitou comentar uma possível vitória no primeiro turno. "Se vai ganhar no primeiro ou no segundo turno não importa. O que importa é que ela vai ganhar".

Lula disse ainda que pretente trabalhar duro até o último dia de seu governo. "Vocês vão se surpreender. No dia 31 de dezembro, eu vou estar inaugurando obra no Brasil. Quem acha que eu vou ficar parado, em festa... Eu tenho compromisso com o país, meu lema é trabalho."


Dilma: eles acham que o povo é ingênuo


A candidata Dilma Rousseff também comentou o assunto neste domingo (22). Dilma classificou a atitude da campanha tucana de "estranha" e disse que fazer isso é supor que o povo é "ingênuo".

"É estranho. É supor uma ingenuidade do povo brasileiro que é absurda. Por trás de quem usa a imagem do presidente Lula porque ele está com a popularidade alta, tem uma visão elitista do povo. Uma visão que acha que o povo acredita que quem foi contra o Lula durante os oito anos do mandato, quem, durante a campanha de 2002, quando o Lula foi eleito, incentivou a teoria do medo e (agora) usa o Lula...".

O comentário foi feito diante de questionamento de jornalistas a respeito do arquivamento, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de representações da coligação de Dilma reclamando do uso da imagem de Lula no horário eleitoral de Serra. Para o Tribunal, apenas o próprio presidente poderia reclamar do uso de sua imagem. O PT afirmou que pretende recorrer da decisão.

"Não vou nem discutir a ação. Eu não acredito que o nosso povo seja incapaz de ter uma visão crítica. Pelo contrário, acho que ele entende direitinho o que acontece", concluiu Dilma.


Ações na Jusiça dos dois lados


Neste fim de semana, mais duas representações foram apresentadas à Corte. A coligação "Para o Brasil seguir mudando", que apoia Dilma, pediu desconto de 10 minutos nas inserções de rádio de Serra. Um dos questionamentos é a utilização do nome do presidente Lula em um spot de rádio de 15 segundos que teria sido veiculado 20 vezes. O argumento é que a exposição seria irregular, feita para confundir o eleitor.

A coligação reclama também que a inserção teria a intenção de ridicularizar a imagem da petista ao chamá-la de "Dona Dilma" e afirmar que ela "pegou o bonde andando, tá de carona e quer sentar na janela". O relator do pedido é o ministro Henrique Neves.

A coligação 'O Brasil pode Mais', que apoia a candidatura do tucano José Serra ao Palácio do Planalto, também resolveu questionar no TSE o uso de imagens de Lula na campanha eleitoral do PT.

Nos últimos dias, foram protocoladas mais de 20 representações, referentes à propaganda eleitoral da coligação adversária em São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Paraná e Santa Catarina. A alegação é que, ao mostrar Lula pedindo votos para a presidenciável Dilma Rousseff no tempo destinado a outros candidatos, estaria sendo cometida uma invasão da propaganda eleitoral. Isso violaria o previsto no artigo 53-A da Lei das Eleições. Ele veda a inclusão "no horário destinado aos candidatos às eleições proporcionais propaganda das candidaturas a eleições majoritárias".

As representações pedem redução equivalente ao tempo em que foi veiculada a suposta invasão.


Estratégia com prazo de validade


Impactados com os resultados das últimas pesquisas, todas desfavoráveis ao candidato tucano, aliados de Serra reclamam da ineficácia da estratégia de usar a imagem de Lula na campanha da oposição. Apesar das reclamações dos aliados, está mantida a linha de comunicação da campanha. A estratégia tem, no entanto, prazo de validade: a Semana da Pátria.

A menos que haja grave turbulência até lá, a campanha trabalha com um prazo de até 15 dias para avaliação da eficácia do programa. Haverá correção de rota se a candidatura não apresentar, até o feriado de Sete de Setembro, fôlego para chegada ao segundo turno.

Serra avaliza o trabalho do coordenador de comunicação, Luiz Gonzalez. Mas já dá sinais de desconforto, consultando aliados sobre a qualidade dos programas. "Precisamos de pelo menos 10 dias para que haja uma maturação", afirma o presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), escalado para pedir um voto de confiança aos aliados.

Inconformados, tucanos alertam para o risco da exaltação da imagem de Lula acabar turbinando ainda mais a candidatura de Dilma. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é um dos mais insatisfeitos.


Da redação, com agências
23 de Agosto de 2010 - 17h41

domingo, 22 de agosto de 2010

Carreata de apoio a Osmar Júnior acontece no próximo sábado

Jarbas Santana
Osmar Júnior conta com presença de apoiadores em carreata

A saída vai acontecer na avenida Joaquim Nelson, na altura do Sítio Uruguai.

Depois do sucesso obtido com a carreata da coligação "Para o Piauí seguir mudando", realizada no último dia 16, os apoiadores do deputado federal Osmar Júnior organizam uma própria para o candidato no próximo sábado (28).

A saída acontecerá na avenida Joaquim Nelson, bairro Dirceu, com concentração nas proximidades do sítio Uruguai. A organização espera reunir centenas de carros no evento.

Osmar Júnior já confirmou sua presença na carreata e convida a todos que estão lhe apoiando que se façam presentes também a partir das 8h no local indicado. "Vai ser uma grande festa", garante.


Da redação local
22 de Agosto de 2010 - 11h46

Robert Rios dispara em pesquisa e é 3º para Assembleia

Jarbas Santana
Robert Rios dispara e é terceiro na preferência do piauiense



Números do Instituto Captavox mostram o avanço do deputado.

O apoio manifestado por eleitores durante as andanças do candidato Robert Rios viu-se refletido em números nesta sexta-feira (20) com a divulgação da nova pesquisa do Instituto Captavox.

O deputado estadual e ex-secretário de segurança do Estado ocupa a terceira posição na preferência do eleitorado piauiense. Desde a última pesquisa, divulgada em julho, Robert subiu 7 posições.

A pesquisa espontânea foi realizada entre os dias 10 e 15 de agosto com 1.182 eleitores de 49 municípios piauienses. A margem de erro é de 2.85%. Os municípios pesquisados foram: Campo Maior, Pedro II, São Miguel do Tapuio, Água Branca, São Pedro do Piauí, Amarante, Regeneração, Palmeirais, Altos, José de Freitas,Teresina, Monsenhor Gil, Demerval Lobão, Elesbão Veloso, Inhuma,Valença Do Piauí, Barras, Batalha, Esperantina, Joaquim Pires, Luzilândia, Miguel Alves, Piripiri, Buriti Dos Lopes, Cocal, Parnaíba, Piracuruca, Jaicós, Paulistana, Simões, São João do Piauí,Simplício Mendes, Oeiras, PicosFrancisco Santos, Pio IX, Bom Jesus, Gilbués, Monte Alegre do Piauí, Uruçui, Baixa Grande do Ribeiro, Colônia do Gurguéia, Landri Sales, Avelino Lopes, Corrente, Floriano, Itaueira,Canto do Buriti e São Raimundo Nonato.

Entusiasmado com os números, Robert Rios afirmou que isso o faz ficar ainda mais engajado na campanha. "O resultado da pesquisa Captavox me anima e faz crer que estamos indo no caminho certo. Obrigado a todos os piauienses, a quem faço questão de honrar por cada voto de confiança depositado em minha pessoa", disse. O deputado garante que ainda há muito a ser feito. "Nosso trabalho em prol da segurança e melhores condições de vida ao povo piauiense continua. Não podemos parar".


Da redação local
20 de Agosto de 2010 - 17h10


sexta-feira, 20 de agosto de 2010

W.Dias consolida liderança com 67% ao Senado; Veja a pesquisa Captavox

ELEIÇÕES:Pesquisa divulga intenção de voto para o Senado Federal. O ex-governador segue à frente. Mão Santa em 2º.



O ex-governador Wellington Dias (PT) segue na dianteira da corrida ao Senado Federal e atingiu 67,4% das intenções de votos no Estado. É o que revela a pesquisa Captavox divulgada hoje (19) no Jornal do Piauí.




Em segundo lugar aparece Mão Santa (PSC) com 31,8% e Heráclito Fortes (DEM) com 21,7%. Ciro Nogueira (PP) obteve 15,4% e o petista Antônio José Medeiros com 8,8%.

Em menos de um mês, Wellington Dias subiu cinco pontos, passando de 62,4% (julho) para 67% (agosto). Mão Santa aumentou um ponto e Ciro Nogueira caiu um ponto percentual em relação à pesquisa anterior.

O candidato a senador do PMN, Moises Pinto, tem 1,4% das intenções de voto, enquanto Albetiza Araújo (PCO) e Toim do Frango (PSL), ambos, aparecem com 0,7%. O vereador R. Silva (PP), candidato ao Senado, obteve 0,6%. Os candidatos Zilton Duarte (PSOL) teve 0,3%, Gervásio Santos aparece com 0,2% e Marineide Albuquerque (PSOL) com 0,1%.

Nulos e brancos somam 16,2% dos entrevistados e 33,8% se declararam indecisos.

A pesquisa entrevistou 1.182 eleitores em 49 municípios piauienses no período de 10 a 15 de agosto. A margem de erro é de 2,85% e a pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí com o número 21.340/2010.






Flash Yala Sena
19/08/10, 13:50

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

ENTREVISTA-Ibope:só fato novo muda curso da disputa presidencial

SÃO PAULO (Reuters) - A 45 dias das eleições presidenciais, apenas um fato novo, fora de controle, poderá mudar o rumo da campanha. Sem esta virada, a tendência é que a candidata do PT, Dilma Rousseff, saia vitoriosa no primeiro turno, em 3 de outubro, como apontam pesquisas recentes de intenção de voto.


A avaliação é da diretora-executiva do Ibope, Marcia Cavallari.

No levantamento do instituto divulgado há três dias, Dilma tem 11 pontos percentuais de vantagem sobre seu principal adversário, José Serra (PSDB), e, computados apenas os votos válidos --excluídos brancos, nulos e indecisos--, ela venceria com 51 por cento, enquanto Serra contaria com 38 por cento neste cálculo.

"Se nada acontecer, e avaliando as tendências até o momento, as chances dela ganhar no primeiro turno são muito grandes", disse Marcia à Reuters.

"Não exime que na reta final da campanha aconteça algum fato que possa trazer um impacto grande nas campanhas", avalia. "A gente está entrando numa fase da campanha que é a fase onde nenhum dos candidatos pode ser pego de surpresa."

Na hipótese de a "surpresa" se resumir a uma acusação de Serra contra Dilma ou contra o petismo, é preciso que venha bem fundamentada, caso contrário dificilmente terá o efeito desejado.

Segundo a executiva do Ibope, o eleitor precisa ter certeza que a denúncia é verdadeira, fundamentada e com provas.

"Se ficar só no discurso, o eleitor já tem este filtro de falar que isso faz parte do jogo, de um ficar atacando o outro. A gente vê ao longo das campanhas que o eleitor não gosta."

Outros ingredientes podem afetar a intenção de voto do eleitor. O horário eleitoral gratuito no rádio e na TV, as inserções na mídia, que tiveram início esta semana, e os debates terão impacto na campanha.

Com esses programas, o eleitor vai começar a comparar os candidatos de uma forma mais direta porque vai receber informações de todos ao mesmo tempo. Podem favorecer ou desmerecer os concorrentes.

Para procurar reverter o cenário, diz a executiva do Ibope, Serra poderia potencializar seu grau de experiência e sua trajetória política e reforçar que tem condições de exercer a continuidade das políticas públicas que são bem avaliadas pela população, mesmo sendo de oposição.

Serra já tem um terço dos votos daqueles que consideram o governo Lula como bom e 19 por cento daqueles que veem a gestão federal como ótima, segundo dados do Ibope. A aprovação ao governo Lula chega a 78 por cento.

 
Por Carmen Munari
Por Reuters, reuters.com, Atualizado: 19/8/2010 18:41
http://especiais.br.msn.com/noticias/eleicoes-2010/artigo.aspx?cp-documentid=25285175

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Campanha de candidatos de PCdoB avança pelo Piauí

                                                                            
                          Robert Rios, Wilson Martins e Osmar Júnior: para o Piauí seguir mudando

                                                        

Robert Rios e Osmar Júnior ganham cada vez mais espaço nos municípios do interior e na capital.



Ainda há muito caminho para percorrer durante a campanha, mas Osmar Júnior e Robert Rios não tem medo de desafios. Pelo contrário. Os dois estão cada vez mais entusiasmados por conta da receptividade dos eleitores piauienses por onde têm passado.



Por semana, os candidatos chegam a visitar mais de 10 municípios de Norte a Sul do Piauí e acompanham de perto os anseios da população. Em cidades como Sussuapara e São José do Divino, Robert e Osmar foram recebidos com grandes reuniões em praça pública.


Em Piripiri e Piracuruca, cidade natal de Robert Rios, caminhadas com a participação de centenas de pessoas mobilizaram os habitantes em torno do movimento que defende a continuação do projeto de Lula e Wellington Dias.





As atividades paralelas em Teresina também têm obtido sucesso e são provas vivas de que o povo quer que o estado siga mudando. Os candidatos avisam que não vão esmorecer e continuarão caminhando, levando as suas propostas a cada canto do Piauí.





Da redação local
18 de Agosto de 2010 - 14h28
Fotos Jarbas Santana
 




Sílvio lidera nova pesquisa no PI; Wilson tem 28% e JVC 21%

CAPTAVOX: Instituto mostra as intenções de voto para governador e simulação para o segundo turno.

Pesquisa Captavox para governador do Estado mostra os candidatos Sílvio Mendes (PSDB) com 33,6%, Wilson Martins (PSB) com 28,1%, e João Vicente Claudino (PTB) com 21,1% das intenções de votos no Piauí. É o que revela a quinta rodada de pesquisa estimulada do instituto nas eleições deste ano.

Na amostragem, os três candidatos cresceram na preferência do eleitorado. Porém, o governador foi o que mais subiu saindo de 25% (julho) para 28% dos votos (agosto). Sílvio Mendes tinha 32% no mês passado e subiu para 33%. João Vicente passou de 19% para 21%. 

A candidata Teresa Britto, do PV, aparece com 1,4% das intenções de voto no mês de agosto. Lourdes Melo (PCO) e Major Avelar (PSL), ambos, aparecem com 0,2% na preferência do eleitorado. O pastor Francisco Macedo (PMN) e Romualdo Brazil (PSOL) obtiveram 0,1%. O candidato do PSTU, Geraldo Carvalho não pontuou na pesquisa. Nulos e brancos surgem com 3% e entre os entrevistados 12,3% disseram estar indecisos.

A pesquisa entrevistou 1.182 eleitores no período de 10 a 15 de agosto. A margem de erro é de 2,85% e a amostragem foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí com o número 21.340/2010.








Espontânea/Indecisos

Na pesquisa espontânea (onde não se cita nome dos candidatos) o eleitor piauiense se mostrou indeciso. Na amostragem, 40,5% dos entrevistados não sabiam em quem votar nas eleições de outubro.
 
Na espontânea, os eleitores dão preferência para o candidato Sílvio Mendes (PSDB) com 22,1% das intenções de votos. O candidato Wilson Martins vem em segundo com 17,7%  e João Vicente com 10,7%.





Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com
http://www.cidadeverde.com/silvio-lidera-nova-pesquisa-no-pi-wilson-tem-28-e-jvc-21-63363
18/08/10, 13:50

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Dilma abre 16 pontos e seria eleita no 1o turno, diz Vox Populi

SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, venceria no primeiro turno se a eleição fosse hoje. Pesquisa Vox Populi indica que a petista abriu vantagem de 16 pontos sobre o principal adversário, José Serra (PSDB), na corrida pela sucessão presidencial.


De acordo com o levantamento divulgado pela Rede Bandeirantes e pelo portal iG nesta terça-feira, Dilma tem 45 por cento das intenções de voto, Serra aparece com 29 por cento e Marina Silva (PV) tem 8 por cento.

Os demais candidatos não atingiram 1 por cento das intenções de voto; 5 por cento declararam voto branco ou nulo e outros 12 por cento se disseram indecisos.

Na pesquisa anterior do instituto, divulgada em 23 de julho, Dilma tinha 41 por cento, Serra aparecia com 33 por cento e Marina permanecia com 8 por cento.

Dilma também aparece na frente na pesquisa espontânea, com 32 por cento das indicações. Serra aparece em segundo, com 18 por cento, e Marina Silva com 5 por cento. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não é candidato, foi citado por 3 por cento dos entrevistados.

A margem de erro do Vox Populi é de 1,8 ponto percentual. O instituto entrevistou 3 mil pessoas em 219 municípios entre os dias 7 e 10 de agosto. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 22.956/10.

Na véspera, o Ibope indicou 11 pontos percentuais de vantagem para Dilma e, na sexta-feira, o Datafolha apontou oito pontos para a petista.


(Reportagem de Carmen Munari; Edição de Fernando Cassaro e Vladimir Goitia)
Por Reuters, reuters.com, Atualizado: 17/8/2010 17:16

Carreata "Para o Piauí seguir mudando" movimenta Zona Norte

                     Ascom/Wilson Martins
                      Cerca de 2 mil veículos participaram da carreata

Candidatos ficaram emocionados com a demonstração de carinho dos teresinenses durante o evento.

Cerca de 2 mil: esse foi o número de carros contabilizados pela organização da carreata da coligação "Para O Piauí seguir mudando" que mobilizou a zona Norte de Teresina na tarde desta segunda-feira (16). Para comemorar os 158 anos da cidade, os candidatos saíram às ruas e foram recebidos com muita alegria pelos teresinenses.
 
Nos principais bairros da zona Norte de Teresina, famílias inteiras foram às ruas para saudar o time oficial de Lula e Dilma no Piauí. De idosos a crianças, todos balançavam as bandeiras dos candidatos, gritavam e faziam a maior festa.Cabral, Primavera, Acarape, Pirajá, São Joaquim, Itaperu, Mocambinho, Buenos Aires e Marquês foram alguns dos bairros que receberam a visita da carreata da vitória.
 
 
Osmar Júnior e Robert Rios se juntaram ao governador Wilson Martins na festa e ficaram em estado de êxtase com as manifestações de apoio que ouviram por onde passaram. "São dias como esse que nos fazem seguir na luta por um Piauí cada vez melhor", disse Robert.
 
 
Após mais de quatro horas de carreata, os candidatos da coligação pararam na praça do Marquês onde foram recepcionados por uma multidão. Lá discursaram após uma chuva de fogos de artifício e sob muitos aplausos.
 
http://www.vermelho.org.br/pi/noticia.php?id_noticia=135207&id_secao=95
16 de Agosto de 2010 - 21h09

Ibope: Dilma tem 51% dos votos válidos e venceria no 1º turno

A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, lidera a corrida presidencial com 43% das intenções de voto, contra 32% do candidato do PSDB, José Serra, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (16) pelo Jornal Nacional. A candidata do PV ao Palácio do Planalto, Marina Silva, registra 8%. A margem de erro de é dois pontos percentuais.

Dos demais candidatos, Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU), nenhum alcançou 1% das intenções de voto.

Segundo o levantamento, os votos brancos e nulos somam 7%. Enquanto 9% dos entrevistados não souberam ou não responderam.

De acordo com o Ibope, considerando-se apenas os votos válidos, excluindo brancos, nulos e indecisos, Dilma tem hoje 51% das intenções de voto, enquanto Serra tem 38%, Marina tem 10% e os outros candidatos somam 1%. Neste cenário, se as eleições fossem hoje, Dilma poderia ser eleita no primeiro turno.

Segundo turno

O Ibope também fez uma simulação de um segundo turno entre Dilma e Serra, a petista aparece com 48% e o tucano com 37%.

Encomendada pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, a pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 16 de agosto, com 2.506 entrevistados de 174 municípios e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 11 de agosto de 2010, sob o número 23548/2010.

Na pesquisa anterior, divulgada no dia 6 de agosto, Dilma liderava com 39% das intenções de voto, contra 34% do candidato do PSDB. A candidata do PV ao Palácio do Planalto, Marina Silva, registrava 8%.

Na última sexta-feira (13), o Datafolha também divulgou resultados de uma pesquisa presidencial mostrando Dilma com 41%, Serra com 33% e Marina Silva com 10%. (Leia mais aqui)

Segundo o blogueiro Ricardo Noblat, pesquisa do Vox Populi, a ser divulgada amanhã pela Rede Bandeirantes de Televisão e o portal IG, conferirá a Dilma uma vantagem de 13 a 14 pontos percentuais.

O levantamento também mostrou como os eleitores avaliam o governo Lula. Para 78%, o governo é ótimo ou bom; para 18%, regular; para 4%, ruim ou péssimo.

Para consultoria Arko Advice, TV não muda favoritismo

Nesta terça-feira (17), começa a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. Às terças-feiras, quintas e sábados serão veiculados os programas dos candidatos à Presidência e à Câmara dos Deputados e às segundas, quartas e sextas-feiras, a exibição será aos concorrentes na disputa pelos governos estaduais, do Distrito Federal, ao Senado, e às assembleias legislativas e do DF.

Para a empresa de consultoria política Arko Advice, o histórico das últimas eleições mostram que TV e rádio não mudam favoritismo de candidatos. A tendência é ser eleito quem entra em agosto na frente nas pesquisas. "Analisando as quatro eleições presidenciais anteriores (1994, 1998, 2002 e 2006), mesmo considerando as peculiaridades inerentes a cada uma, constata-se que depender apenas da campanha no rádio e na TV não é suficiente para a vitória", diz nota da empresa.

Em agosto de 1994, segundo o Ibope (17 a 22), FHC tinha 40% de intenções de voto para presidente. Lula tinha 25%. Pelo Datafolha (16 a 18), FHC tinha 41% e Lula, 24%. Ao final de setembro e início de outubro, o Ibope registrava que FHC estava com 46% e Lula com 22%. O Datafolha mostrava FHC com 48% e Lula com 22%.

Brizola, Orestes Quércia e Esperidião Amin também variaram muito pouco. Tinham, em agosto, 5%, 5% e 2%, respectivamente, de acordo com o Datafolha. Chegaram em setembro com 4%, 5% e 2%, respectivamente.

Ou seja, a propaganda eleitoral acabou favorecendo quem já estava na frente.

Em agosto de 1998, pesquisa do Ibope (14 a 18) trazia FHC com 44% das intenções de voto, contra 21% de Lula. Pelo Datafolha (12 a 14), FHC tinha 42% e Lula, 26%. No final de setembro, FHC atingiu 47% e Lula, 24%, conforme o Ibope (24 a 27). O Datafolha de 2 de outubro registrou FHC com 49% e Lula com 26%. Ciro, segundo o Ibope, começou com 5% em agosto e terminou com 9% em setembro.

Em 2002, houve uma mudança radical. Mas entre o segundo e o terceiro colocados. Lula, que segundo o Ibope (17 a 19 de agosto) contava com 35%, terminou com 43% (28 a 30 de setembro). Ciro Gomes tinha 26% e terminou com 11%, e Serra, de 11% originais, subiu para 19%.

Por fim, em agosto de 2006, Lula aparecia no Ibope (15 a 17) com 47% das intenções de voto contra 21% de Geraldo Alckmin (PSDB). No Datafolha (7 e 8 de agosto), Lula tinha 47% e Alckmin, 24%. No primeiro turno, Lula teve 48,61% dos votos válidos e Alckmin, 41,64%. No segundo turno, Lula foi reeleito com 60,83% dos votos válidos.

Em 2010, Dilma Rousseff (PT) conseguiu seu principal objetivo. Começar a campanha no rádio e na TV na frente de José Serra (PSDB). Pela média das pesquisas, tem hoje 40,53% das intenções de voto contra 32,86% de José Serra.

 
Da redação, com agências.
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=135206&id_secao=1
16 de Agosto de 2010 - 20h43

sábado, 14 de agosto de 2010

Candidatos recebem o carinho de teresinenses durante caminhada

Osmar Júnior e Robert Rios foram calorosamente recebidos nas ruas na tarde desta sexta-feira.

As ruas do Centro de Teresina foram invadidas por uma onda vermelha e amarela na tarde desta sexta-feira (13). A caminhada dos candidatos Robert Rios e Osmar Júnior mobilizou dezenas de pessoas desde a concentração na Praça do Fripisa.

Durante a caminhada, os candidatos receberam o carinho da população e conversaram com comerciantes e vendedores ambulantes. O movimento foi ganhando ainda mais adesão à medida que passava pelas ruas. Muitas pessoas exibiam os bottons de Osmar e Robert e balançavam bandeiras.

Depois de passar pelas ruas Coelho Rodrigues, Barroso e Paissandu, a caminhada terminou na Praça Pedro II, onde Osmar agradeceu a presença de todo e disse que aquela seria a primeira de muitas.

Logo após a caminhada, os candidatos seguiram para o bairro Mocambinho, onde já tinham encontro marcado com os moradores. A grande reunião também faz parte da agenda de campanha de Robert e Osmar.


Da redação local
13 de Agosto de 2010 - 19h37

Moradores interagem com candidatos do PCdoB-PI durante reunião

Robert Rios e Osmar Júnior ficaram extasiados com o envolvimento dos moradores do bairro Mocambinho.

A sexta-feira (13) foi de intensas atividades para os candidatos Osmar Júnior e Robert Rios. Depois da caminhada no Centro de Teresina, os dois seguiram para uma grande reunião realizada no bairro Mocambinho.

Dezenas de pessoas compareceram à casa do camarada Danilio onde o evento aconteceu. Robert e Osmar ficaram ainda mais animados com a receptividade dos moradores do Mocambinho. "Acabamos de chegar de uma caminhada, onde fomos calorosamente recebidos. Agora vemos aqui também um grande número de pessoas que nos apóiam. É gratificante", disse Robert.

Osmar Júnior declarou-se muito feliz com tudo que tem acontecido durante a campanha e com a intensa participação da comunidade. "Vale ressaltar o envolvimento intenso e incansável também dos jovens", lembrou.

O Mocambinho é o segundo bairro de Teresina a receber esse grande encontro com os candidatos. Na semana anterior, o bairro Dirceu foi palco do encontro.


Da redação local
14 de Agosto de 2010 - 11h18

Em pesquisa Ibope, Wilson Martins é lider para governo do Piauí

Agora é o Ibope quem diz: Wilson Martins é o líder da corrida pelo Governo do Estado do Piauí. Segundo a pesquisa do maior instituto do país, divulgada nesta sexta-feira (13), pela Rede Globo, Wilson lidera na preferência do eleitor piauiense, com 24% das intenções de voto estimuladas.

O segundo é o candidato tucano Sílvio Mendes, com 22%, seguido de João Vicente Claudino (PTB), com 19%. Teresina Brito (PV) aparece com 2%.

Wilson também é líder na intenção de voto espontânea, com 16%. O segundo é outra vez o tucano, com 15%, seguido do petebista, que recebe 10% das citações. A candidata do PV tem 1%.

A pesquisa Ibope, feita com exclusividade para a Rede Globo (no Piauí, TV Clube) foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número 20.927/2010. O Ibope ouviu 812 eleitores, com idade a partir de 16 anos, em 44 municípios, entre os dias 10 e 12 de agosto.

O resultado da pesquisa Ibope mantém as tendências dos principais institutos que realizam pesquisas no Piauí. Segundo números do Amostragem, Data AZ e CaptaVox, Wilson tem mantido uma tendência permanente de crescimento na preferência do eleitorado, com queda dos concorrentes mais diretos.


Fonte: Ascom
13 de Agosto de 2010 - 19h57

'Economist' vê 'dificuldades' de Serra para tirar vantagem de Dilma

A revista "Economist" traz na sua edição desta semana um artigo em que analisa as "dificuldades" que o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, enfrenta para tirar a vantagem que a candidata do PT, Dilma Rousseff, começa a registrar nas pesquisas eleitorais.

Intitulado "Glória Refletida" - em referência ao principal ativo de Dilma na campanha, a transferência de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva -, o artigo avalia que a candidata petista "está no caminho de herdar a Presidência" de Lula.

Para a revista, a transferência de votos de Lula para sua candidata é "o problema" de Serra na campanha.

Por isso, embora demonstre, "no papel", qualidades para "vencer a eleição presidencial sem suar", o candidato tucano "tem tido dificuldades para se manter na corrida".

A "Economist" ressalta que Serra tem sido obrigado a prometer a continuação de certas políticas do governo Lula, como o Bolsa Família.


Estratégia

Resumindo as estratégias dos dois principais candidatos, o cientista político Rubens Figueiredo, ouvido na reportagem, expõe: "Para a Dilma é simples: convencer os eleitores de que ela representa Lula. Já Serra precisa lembrá-los de que Lula não é o candidato - e fazer isso de maneira a não se opor, e se possível até sem mencionar, Lula".

Para a publicação britânica, avançar de maneira "estável", como vem fazendo Dilma, "é melhor para quem está no poder que para quem está na oposição".

"Porém, a liderança de Dilma não é invencível", considera a revista. "Se Serra impedir-lhe uma vitória no primeiro turno, pode ter alguma chance no segundo turno. E no Brasil há sempre a possibilidade de um escândalo ou gafe."

Por outro lado, diz a "Economist", Dilma ainda pode ganhar votos entre os 8% de eleitores que dizem optar pelo candidato de Lula, mas não a conhecem pelo nome.

Além disso, a candidata petista terá mais tempo do que Serra de campanha eleitoral gratuita no rádio e na TV, que começa na próxima terça-feira, dia 17.

"A vantagem pode acabar sendo decisiva", analisa o artigo.



BBC Brasil - Todos os direitos reservados.
É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.
Por BBC, BBC Brasil, Atualizado: 13/8/2010 5:32

Robert Rios recebe apoio de eleitores em bairros de Teresina

O candidato à reeleição para a Assebleia Legislativa está satisfeito com os elogios e o carinho recebido nas ruas.


O deputado estadual Robert Rios, candidato à reeleição pelo PCdoB-PI, tem recebido muitas manifestações de carinho e apoio durante suas andanças pelos bairros de Teresina. Na agenda de campanha, o candidato tem procurado ouvir de perto o que a população tem a dizer.

Também pelo interior do Estado, as visitas têm sido intensas e a receptividade não é diferente. Robert organiza-se para abranger municípios de Norte a Sul do Piauí porque partilha do pressuposto que não se faz um bom mandato sem conhecer bem o seu estado.

Nas ruas, o deputado tem escutado muitos elogios pelo trabalho exercido frente à Secretaria de Segurança do Estado e pela postura adotada dentro da Assembleia Legislativa. Robert diz-se agradecido e muito feliz com a aprovação dos eleitores. “É gratificante receber o apoio do povo. Isso demonstra que o esforço feito nesses anos de mandato não foi em vão e que a população sentiu os efeitos positivos das minhas ações. Pretendo continuar trabalhando por e para este povo”, afirma.


Da redação local
11 de Agosto de 2010 - 10h44

Datafolha aponta Dilma 8 pontos à frente de Serra

SÃO PAULO (Reuters) - O Datafolha confirmou a liderança da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, na corrida presidencial. Na pesquisa divulgada nesta sexta-feira pela Rede Globo, a petista está oito pontos à frente de José Serra (PSDB).

Pelo levantamento, Dilma tem 41 por cento das intenções de voto, Serra aparece com 33 por cento e Marina Silva (PV) tem 10 por cento.

A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Na pesquisa anterior, divulgada em 24 de julho, o Datafolha mostrava empate técnico entre Dilma e Serra. O tucano tinha 37 por cento e a petista aparecia com 36 por cento. Marina Silva também estava com 10 por cento.

Os outros candidatos não chegaram a 1 por cento cada. Brancos e nulos somaram 5 por cento e os que não sabem, 9 por cento.

Segundo o Datafolha, excluindo-se os indecisos, brancos e nulos e considerando-se apenas os votos válidos, Dilma estaria a três pontos percentuais de vencer no primeiro turno.

Em um eventual segundo turno, Dilma teria 49 por cento e Serra, 41 por cento.

Na pesquisa Ibope, divulgada na sexta-feira passada, Dilma liderava com cinco pontos de vantagem em relação a Serra. Ela tinha 39 por cento e ele, 34 por cento. Marina aparecia com 8 por cento.

O Datafolha avaliou ainda o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para o instituto, houve estabilidade. Os que acham o governo ótimo ou bom somaram 77 por cento; regular, 18 por cento; e ruim ou péssimo, 4 por cento.

Foram feitas 10.856 entrevistas em 382 municípios entre os dias 9 e 12 de agosto.


(Reportagem de Carmen Munari)
Por Reuters, reuters.com, Atualizado: 13/8/2010 21:19

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Candidatos participam de grande reunião no Mocambinho

Evento acontece nesta sexta-feira (13) com presença de Osmar Júnior e Robert Rios.

Jarbas Santana
 Osmar e Robert
Robert Rios e Osmar Júnior estarão no Mocambinho nesta sexta
 
Na última semana, foi um sucesso a reunião dos candidatos Robert Rios e Osmar Júnior no bairro Dirceu. Um grande número de apoiadores da campanha dos deputados compareceu e os moradores do bairro tiveram a oportunidade de ouvir de perto as propostas de ambos.
 
Nesta sexta, mais um bairro de Teresina receberá o grande encontro com os candidatos. Dessa vez, a reunião passa da zona Sudeste para a Norte e os moradores do Mocambinho poderão conversar, questionar e ouvir Robert e Osmar.
 
O encontro está marcado para começar às 19h30 na Q-23,C-39, setor A, Mocambinho I. 
 
Robert Rios e Osmar Júnior dedicam-se a esses encontros tanto em Teresina como nos outros municípios. Por onde têm andado, são elogiados pelos mandatos anteriores e recebem novas manifestações de apoio.


Da redação local
http://www.vermelho.org.br/pi/noticia.php?id_noticia=134946&id_secao=95
12 de Agosto de 2010 - 14h19